segunda-feira, dezembro 26, 2005

Espelho

Espelho que tudo vês
Sem julgar, sem decidir...
Diz-me, mostra-me a razão
Que me levou a agir, reagir
E a escurecer meu coração?

Espelho que tudo mostras
Sem distorcer, sem ajuizar...
Diz-me o motivo, o sentido
Para quê vir, se não é para ficar
E aqui me deixar de rastos, vencido?

Espelho que tudo devolves
Sem modificar, sem aquecer...
Diz-me, se reflectes a luz e a claridade
Porque não iluminas o meu ser
E me devolves um pouco de felicidade?

4 comentários:

Chas. disse...

Grande poema. Muito bom!

alphatocopherol disse...

Se ás vezes o espelho pudesse falar...
Mt bom poema, e qt aos pensamentos traduzidos pelas linhas... Uma boa reflexão em tempo de ano novo...

Pq ano novo vida nova! (?)

P.N. disse...

Tá excelente João!!!

Sleeping Angel® disse...

Que lindo poema!!
Bjs