quarta-feira, outubro 24, 2007

Continuando pela estrada

A noite está escura. As nuvens tapando o céu e ameaçando chover por entre as árvores negras, como sombras dançando na escuridão. O assento da mota molhado não me incomoda enquanto o levanto para pegar a arma que assenta tão bem na minha mão. A bala fria entra facilmente e deixo a pistola no meu colo enquanto ligo minha companhia.

O ronronar forte do motor desperta-me à medida que o frio desaparece do motor, só as balas continuam frias no bolso do meu casaco enquanto coloco a pistola no seu coldre de cabedal, facilmente tão acessível. As mãos altas no guiador da minha companhia, sentindo as minhas mãos nuas nos punhos, o cabelo que começa a ficar ralo a abanar à medida que me movo.


...A cabana que deixo para trás mergulhada em sangue nunca mais será a mesma, as almas que lá ficaram sempre presas num suplicio que, se depender de mim, nunca acabará. O cheiro da morte ficará em mim como a memória de quem te matou...


Os quilómetros que ficam à minha frente estão marcados pelo sangue que ainda não derramei e iluminados pelas balas que ainda não disparei. O alcatrão que passo marcado pelo pneu molhado e pelas recordações que guardo. A estrada é apenas minha e da minha companhia.


A estrada é um rio negro marcada apenas pelos traços que o pneu pisa. A canção que me acompanha afasta as memórias, uma canção que canto apenas para espantar os sonhos. O tempo que passei no deserto do mundo apenas contribuiu para alimentar a raiva que não deixo que se apodere. A caminho de mais uma cabana para te vingar.


O blusão negro que me envolve confunde-me com a escuridão que abraço, as calças do fato que me vestem são as do fato com que me enterrarão, na minha mão brilha o anel cujos sonhos nunca mais me apanharão...

3 comentários:

Chas. disse...

Gostei muito...

alphatocopherol disse...

Muito bom... Reparei no pormenor da frequente utilização do gerúndio. Foste ao Brasil sem o ppl saber? :P

Abração

João disse...

Um texto que emana escuridão das suas palavras... um dos mais negros que passou por este site.