sábado, junho 07, 2008

Levante

(ou Visão em Ti)

Visão de Ti:

Sinto o teu perfil com o olhar
Vejo a tua forma com as mãos
(beijo a tua forma com as minhas mãos!)
Deixo-me percorrer o teu perfil enquanto a minha mente se perde nos teus olhos
(desenho-te com as minhas mãos enquanto me prendo ao teu olhar!)
Vejo a tua mão sobre a minha
(beijo a tua mão com a minha!)
Sinto o rubor na tua face, e oiço os teus lábios húmidos a esperar um beijo… A esperar este beijo, que não te dou por timidez… ou pura estupidez!
Sinto o calor sufocante da paixão adolescente que nos aproxima… Que nos prende um ao outro, que não nos deixa sair, e nos impede de ficar!
Penso as mil e uma palavras que quero dizer-te, mas aquele nó… Este nó no estômago impede-me até de as sussurrar!
O pânico sufoca-me… Sufoca-nos! É um remoinho de paixão!
O vento acaricia o teu cabelo e desenha as tuas formas!
Como desejo ser esse vento… A abraçar-te eternamente!
(o vento, no seu abraço eterno, modela-se a ti… flúi por ti… quero ser esse abraço!)
Quero viver em ti… quero libertar-me destas palavras… Sussurrar-te ao ouvido mil baboseiras, que talvez não oiças…
(quero libertar-nos deste pânico sufocante… Talvez este vento guie as minhas palavras até aos teus ouvidos… talvez as oiças finalmente!)

Visão sem Ti:

O teu perfume inunda os corredores… As tuas cores espalham-se por todo o lado… Sinto a tua presença e percorro estes corredores à tua procura… À minha procura…
(cheiro a tua presença… percorro os corredores deste manicómio como o louco que sou… procuro-te em vão nesta noite gelada…)
A imagem da tua mão na minha inunda-me a mente… A visão daquele beijo persegue-me até à loucura…
DEIXA-ME VOAR! DEIXA-ME VOAR! DEIXA-ME VOAR!
Liberta-me desta prisão… Sê a Estrela do Norte na minha noite escura!
(perdido, busco em vão o teu olhar… persigo a tua presença, o teu calor!)
Sinto a tua presença tão próxima… o coração atropela-me o pensamento…
Umas mãos trémulas seguram um coração acelerado…
(as minhas mãos seguram-me o coração perdido!)
Tenho medo… Sinto pavor de não voltar a sentir-te…
(talvez nada disto seja verdade… talvez seja tudo imaginação… talvez nada tenha acontecido… talvez te tenha criado eu!)
E tu? Pensas em mim agora? Onde estás? Sentes as nossas almas a voar junto daquela estrela?
Eu não sei se sinto… Já não sei o que sinto…
(saudade?)

Nada faz sentido aqui… Sem Ti!

Visão em Ti:

Quero voar contigo….
Quero sentir o calor da fusão das nossas almas…
(sentir o elixir da vida a percorrer as artérias)
Sentir-nos!

Um dia, quando o Sol nascer, em uma qualquer praia do mediterrâneo
(um dia, se enquanto o sol nasce nesta praia do mediterrâneo!)
O Levante acariciar o teu cabelo
(o levante bailar no teu cabelo)
A tua mão beijar a minha
(a tua alma beijar a minha)
Sentir-te vibrar quando as nossas mãos se toquem…
(sentir o pulsar do teu coração quando as nossas mãos se beijem!)
Os nossos olhos perdidos, pela timidez que nos impede de olhar directamente o outro… Talvez vendo aquela gaivota que sobe e desce na linha do horizonte…
(talvez imaginado o nosso beijo)

Um dia… Apaixono-me por ti
(nesse dia… transformo-me neste vento e prendo-me a ti num abraço eterno!)

4 comentários:

APC disse...

Força PORTUGAL!

Chas. disse...

Bom texto panilas. :D

João disse...

Simplesmente, lindo.

alphatocopherol disse...

absolutamente lindo, um regresso brilhante!



Mas tem cuidado, olha que o plagiante caldeirão da penal ainda te pode apanhar :P