domingo, março 01, 2009

Primavera

O Sol ergue-se das copas das árvores
Onde durante a noite reposou
Banhando de luz e apagando as dores
De todas as criaturas que um dia criou
A Natureza, embalada pelo encanto
Que lhe causava um estranho sentimento
De no mundo onde faltava tanto
Não haver quem desse contentamento
À vastidão imensa do nada
Que ficou com tal ocupação
Quando esse castanho que desagrada
Se transformava numa estação
Verde que é a Primavera!

5 comentários:

alphatocopherol disse...

Claro verde, que outra cor poderia ser? :p

Gostei!

annie stelar disse...

gostei do texto contentinho e primaveril

Chas. disse...

Tiraste-te a ideia de um texto que tinha em mente... sobre a Primavera, primavera... :P
Muito bem escrito!

R.B. NorTør disse...

Fica o desafio aos do costume para um texto, na PENAL, sobre a Prima Vera...

Quanto à contribuição semanal, decididamente vai ter bolinha vermelha pelo que não sei se não irá para a PENAL. Alguma maneira de linkar os textos da Penal com estes?

João disse...

É sempre estranho ler um texto desta natureza pelo autor em causa, especialmente se tivermos em conta os seus textos mais recentes eheh