terça-feira, março 09, 2004

Amor... em quatro etapas.

No princípio a inocência,
Amor...
Abraços mágicos ao luar;
Um rio, um regaço aconchegante,
Uma só paixão, uma só crença,
Sentimento, terna doença...
Até ao abandono desesperante,
Um rasgo forte de dor
Para um novo abraçar:
Diferente, mas em transparência.

Depois veio a loucura,
O fim do amor...
O fim da compustura,
O fim da verdade,
O travo amargo da madrugada,
A travessia amargurada,
O desgosto que perdura;
Sem mel, sem doçura...
Desvaneio sem sanidade,
Louco incontido no seu fulgor.

Hoje a redenção...
Amor?!
Sem saber o que sentir,
Sem saber o que procurar.
Anseio sem coragem,
Sonho sem acreditar...
Não há magia ao anoitecer,
Rostos ternos a mudar,
Momentos a desvanecer,
Recordação sempre a surgir...
O barco já sem vapor
Que me deixa preso na margem...
Um ser em busca do seu perdão.

Amanhã, a incerteza...
Amor de verdade...?
Sentir o que já senti,
Perder o que já perdi,
Esperança sem idade...
Fardo carregado com leveza,
Ou folha insustentável da minha saudade...

Esperando pela mão que me venha buscar
Ou pela força que me faça voltar.

2 comentários:

nayara barros disse...

Pessoal fiz uma postagem no meu blog, contando minha historia de amor virtual!
espero todos lá!
gostaria de conta minha historia na revista!
beijoss!

nayara barros disse...

nadiariopower.blogspot.com